Transformadores: Giovanna pensa em ser psicóloga ou advogada quando crescer porque acredita no seu poder de ajudar os outros

 

“Quem vai ajudar esse menino?”

Foi essa pergunta que a Giovanna se fez enquanto estava de férias e pensava em um colega de classe que era conhecido por agir de maneira raivosa e irritada.

“Cheguei à conclusão de que eu mesma poderia ajudá-lo e consegui”, diz.

Aluna desde os três meses de idade no Erasto, Giovanna aproximou-se do menino e o incentivou a ser melhor, ajudando-o em tudo o que ele precisava. “Agora somos amigos”, comemora.

Ao mesmo tempo em que conseguiu deixar mais leve  o comportamento do colega, a menina também assume que já passou por algumas transformações. “Eu também era impaciente, mas a professora Débora me ensinou a mudar. Hoje eu entendo que sou muito justa e que gosto contribuir com tudo o que eu acho correto”, afirma.

Giovanna pensa em ser psicóloga ou advogada quando crescer porque acredita no seu poder de ajudar os outros. Enquanto essas tarefas ainda estão distantes da sua vida de menina, ela encontra nas amizades um jeito carinhoso de praticar a confiança e a justiça.