Transformadores: quando a Nilza começou a trabalhar no Erasto, ela era tímida e não conseguia falar com quem não conhecia, mas isso foi por pouco tempo.

“Eu me divirto com os alunos, mas procuro não ir muito na onda deles senão vira bagunça, né?”

Esse jeito de falar da Nilza já mostra que ela é responsável e que gosta muito de organização.

Quando mais nova era tímida, introspectiva e não se sentia muito confortável em conversar com quem não conhecia.

E qual é o melhor lugar para se trabalhar e deixar a timidez de lado? Sim, a escola! Impossível ficar calada em meio a tantos alunos que fazem perguntas, se interessam pela sua história e lhe enchem de carinho gratuitamente.

“Agora eu sinto que estou mais solta. Conviver com a criançada ajudou a transformar esse meu lado mais envergonhado”, diz. Desde que não vire bagunça, não é mesmo, Nilza?