Conheça os 5 erros que os pais cometem na hora de ajudar seus filhos na escolha profissional

Conheça os 5 erros que os pais cometem na hora de ajudar os seus filhos na escolha profissional

A escolha do futuro é uma decisão difícil demais para se tomar sozinho. E quando é o futuro de alguém que gostamos, é natural tentar fazer o possível para que a decisão seja mais acertada. No caso dos filhos, alia-se ainda a impressão de que a falta de experiência deles pode prejudicar e pronto, está feita a fórmula que pode prejudicar o livre arbítrio e escolha deles. Evite cair no erro de querer fazer as escolhas profissionais de seus filhos com nossas dicas.

01 - Não queira decidir pelo seu filho

Descobertas envolvem escolher, errar, tentar e avaliar as possibilidades. Quando você escolhe pelos seus filhos, está tirando um importante aprendizado que ajuda a construir o caráter. É importante aprender a avaliar o que é melhor ou não sozinho. Quando você decide por seu filho, ele acaba se acostumando a ter pessoas escolhendo, o que leva a uma vida adulta passiva e acomodada. Como deu para perceber, esse tipo de atitude prejudica mais do que apenas a escolha da profissão.

02 - Apoie as decisões e aconselhe em casos de dúvidas

Embora não seja bom decidir por eles, isso não significa que você não deve aconselhar. Principalmente no caminho de descobertas, é normal encontrar várias dúvidas. A pior coisa nesses casos é se sentir sozinho. Mostre-se disponível, e ofereça conselhos. Apenas evite dar as respostas finais. Essa é a melhor forma de a pessoa se basear em conteúdos, não em decisões.

03 - Não queira que seu filho tenha a profissão dos SEUS sonhos

É muito comum ver pessoas que transferem para os filhos seus sonhos. É preciso evitar esse tipo de situação, pois, ao invés de aconselharmos, tentamos traçar o caminho dos filhos. E pior, pode ser que as aptidões dele nada tenham a ver com seus sonhos. Além de causar problemas, isso diminui a liberdade do adolescente em querer conversar.

04 - Mostre os caminhos da independência

Você é um apoio para seu filho aprender a andar sozinho, não tome as decisões por ele. Não trate seu filho como um coitado, mas como alguém capaz de crescer e escolher seus próprios caminhos.

05 - Aconselhar seu filho a ter uma profissão que “ganhe bem”


A visão do profissional que vivia para seu emprego e trabalhava 12 horas por dia para ser bem-sucedido é passado. Atualmente, o salário não é a melhor forma de decidir a profissão, mas sim a felicidade e satisfação. A nova geração não quer ter um emprego infeliz apenas para ter dinheiro, prefere ter um trabalho que pague menos para ter mais qualidade de vida. Ao aconselhar seu filho a ter uma profissão baseada nos ganhos, existem grandes possibilidades de ele escolher uma profissão que não queria, apenas para te agradar, gerando uma frustração e infelicidade.

Bônus - não dê palpites demais

Por fim, evite achar que porque ele é bom em matemática ele deverá ser engenheiro, porque gosta de ler, deverá ser jornalista. Deixe que ele mesmo faça seus caminhos. Às vezes, aptidões são úteis para coisas que vão além do que estamos acostumados.