Como a programação pode ensinar seu filho a resolver problemas

Para garantir que seus alunos estarão preparados para o futuro, as escolas estão constantemente adaptando seus métodos de ensino à realidade deles. Partindo da ideia de que a nova geração está cada vez mais conectada e tecnológica, as aulas de programação nas escolas estão se tornando uma das ferramentas mais interessantes e eficientes.

A proposta das aulas de programação nas escolas é permitir que os alunos estejam familiarizados com os conteúdos tecnológicos. E mais do que isso: que deixem de ser consumidores, tornando-se produtores.

E engana-se quem acha que esse conteúdo é útil somente para quem pretende seguir essa área em sua formação profissional. O formato das aulas beneficia o aprendizado como um todo, visto que incentiva a criatividade, o trabalho em equipe e desenvolve diversas competências e habilidades do futuro.

Como a programação nas escolas pode auxiliar na resolução de problemas?

Um dos objetivos da programação nas escolas é fazer com que os alunos comecem a entender a lógica por trás das tecnologias que utilizam no dia a dia ou que irão conhecer na sala de aula. É como se ela ensinasse a pensar ou, como diz a cultura marker, a fazer você mesmo.

No momento em que o cérebro é estimulado desta forma, ajuda no raciocínio como um todo. Logo, melhora o desempenho em outras disciplinas, estimula a criatividade e faz com que determinados problemas sejam solucionados mais facilmente.

Duas das disciplinas que mais se beneficiam com o aprendizado de programação nas escolas são português e matemática. Isso porque ela aumenta a capacidade de pensar de forma sistematizada. Além disso, o aluno passa a analisar as questões de forma lógica, sem se preocupar em decorar regras, por exemplo.

Vantagens do uso da programação nas escolas

Essa disciplina oferece diversos benefícios para alunos e professores. Os principais são:

1 – Promove um relacionamento mais inteligente com a tecnologia

Mesmo quem não pretende seguir o caminho da Ciência da Computação ou Engenharia precisa ter familiaridade com a tecnologia. Afinal, ela está cada vez mais presente no dia a dia e pode ser considerada uma habilidade diferenciada.

2 – Melhora o desempenho na sala de aula

Com as aulas de programação nas escolas, o aluno passa a raciocinar de forma lógica e compreender efetivamente o que está sendo ensinado nas demais disciplinas. Além disso, aprende a planejar, dividir problemas em partes menores e criar estratégias. 

Isso muda a forma com que o conteúdo é transmitido, visto que o professor pode estimular o aprendizado de diversas outras formas.

3 – Professor é visto como um facilitador

Ao ensinar a linguagem da programação, o professor deixa de ser um replicador de conteúdo, transformando-se em um facilitador de aprendizado. Ele passa a ser responsável por motivar e reforçar valores essenciais, como:

  • Trabalho em equipe;

  • Planejamento de tempo;

  • Raciocínio lógico;

  • Espírito empreendedor;

  • Organização;

  • Proatividade;

  • Capacidade de corrigir erros.

Como as escolas estão inserindo a programação em suas atividades

Algumas escolas estão incorporando o ensino de programação como uma cadeira optativa. Ou seja: as aulas ocorrem no contraturno, deixando o aluno livre para participar ou não.

Há, ainda, colégios que a adicionaram em sua base curricular. A programação nas escolas é uma tendência mundial e, claro, o Erasto não poderia ficar de fora. O colégio fez uma parceria com a Happy Code para, a partir de 2020, oferecer essa disciplina para seus alunos. Quer fazer parte desta história? Venha nos visitar!